Como funciona a biblioterapia?

alexsander-queiroz-silva-biblioterapia

Você já imaginou quantos benefícios aquela história que você tanto gostou de ler trouxe para a sua mente? Essa é a proposta da biblioterapia, ela cria pontes de cura e cicatrização através da leitura de livros orientados, a técnica ajuda a melhorar a vida de pacientes com problemas de saúde mental, amplia o conhecimento, além de ser uma distração curativa.

Se essa é a primeira vez que você ouve falar nesse termo, saiba que os benefícios da biblioterapia já são estudados desde meados do século 20. A ideia é que a  pessoa identifique através da leitura diversos cenários para um mesmo problema, enxergando as suas possibilidades e soluções. Ao projetar essas situações, o paciente pode ser levado a catarse, mudanças de humor, identificação e introspeção.

No Brasil a biblioterapia ainda anda a passos curtos, mas em Portugal já existe uma clínica com profissionais especializados em biblioterapia. As sessões oferecem orientação e a prescrição de livros, o tratamento é indicado através de uma avaliação do quadro clínico do paciente, seu estado físico, hábitos de leitura, autores e obras favoritas.

Tipos de biblioterapia

A biblioterapia é dividida em dois tipos: clínica e desenvolvimento pessoal. O primeiro caso é mais aplicado em ambiente hospitalar nos pacientes que sofrem com transtornos de humor e com transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). Nessa linha, o terapeuta indica livros com um tema específico que ajudam o paciente a criar foco e adequar as situações descritas na história com a sua realidade.

No segundo caso, o terapeuta aplica a técnica focado na evolução pessoal do paciente e a linha não se restringe a hospitais, podendo ser aplicada em grupo ou de forma individual. Esse tipo atua de forma preventiva ou corretiva, desenvolvendo o crescimento pessoal do paciente através de exercícios de aprendizagem, como por exemplo, técnicas de meditação, como falar melhor em público, entre outros.

Benefícios da biblioterapia  

Essa prática terapêutica busca levar ao paciente respostas para os seus problemas internos de uma forma lúdica e enriquecedora. Ao começar uma nova história, a pessoa vai perceber que durante aquele tempo dedicado a leitura, seja ele quanto for, ele estará livre de alguns pensamentos destrutivos e repetitivos. Para entrar na narrativa e se concentrar no livro é preciso criar espaço na mente, sendo assim, aqueles problemas poderão ser afastados por alguns instantes.

Além disso, a biblioterapia ajuda a suavizar questionamentos e orienta na solução de problemas que, muitas vezes, pareciam impossíveis de serem resolvidos. Quem experimenta essa técnica vivência o seu crescimento emocional, momentos de serenidade, amplia a sua capacidade de reflexão e cria impulsos para seguir em frente.

curta! 😉

[Infográfico] Saiba como praticar o mindfulness

Há 1 ano uma prática de meditação cruzou o meu caminho, o mindfulness , técnica que ajuda a melhorar a saúde e a concentração na prática de esporte, no ambiente profissional e nos estudos. A ideia é conseguir atenção total no presente, em cada som, sensação, cheiro, pensamentos, ou seja, ter consciência de si mesmo.

A mente de pessoas ansiosas, por exemplo, acabam tomando vida própria e levando a pensamentos fantasiosos do futuro ou vivendo em eventos do passado. Essa prática pode auxiliar nesses quadros, vale lembrar que pessoas com problemas de saúde mental devem usar esse método apenas como complemento, é importante procurar ajuda profissional.

Para começar a praticar esse tipo de meditação, você precisa ter um propósito, pode ser a atenção total em sua respiração, lembrar de algum momento da sua vida ou se concentrar em uma emoção. Pessoas que levam consigo essa prática apreciam o aqui e agora, vivem mais intensamente, reduzem dores crônicas, sentem menos estresse e possuem inteligência emocional mais desenvolvida.

Então, respire fundo e comece a praticar o mindfulness com esse infográfico!

alexsander-queiroz-silva-mindfulness

 

curta! 😉

Você sabia que existem 8 tipos de inteligência?

alexsander-queiroz-silva-8-tipos-inteligencia

Podemos dizer  que a inteligência emocional é uma nova etapa nos estudos ligados ao desenvolvimento da mente, uma faculdade tão complexa que não sabemos quando chegaremos ao fim de sua complexidade. Lançada em 1995, a obra Inteligência Emocional de Howard Gardner, psicopedagogo cognitivo educacional, abriu questionamentos importantes sobre a inteligência ser muito mais do que apenas o famoso QI.

Entre as teorias de Gardner destaca-se as Inteligências Múltiplas, onde o psicólogo defende que todos têm tendências individuais, ou seja, algo que gostamos e somos mais competentes e que essas tendências podem ser englobadas em outros tipos de inteligência.

Ao todo existem 8 tipos de inteligência, porém, uma pessoa normalmente costuma desenvolver no máximo duas. Cada indivíduo já nasce com determinado talento, mas ao longo da vida, e por conta das suas experiências, pode contribuir para o desenvolvimento dos demais.

Conheça os 8 tipos de inteligência

alexsander-queiroz-silva-tipos-inteligencia

Linguística – O indivíduo que desenvolve essa inteligência costuma ter talento para leitura, escrita e fala. Se você tem seu ponto forte na inteligência linguística irá se desenvolver como escritor, poeta, jornalista, entre outras carreiras.

Musical – Pessoas com essa inteligência compreendem com facilidade os sons. Músicos e produtores, por exemplo, conseguem transmitir ideias e sentimentos através do som.

Lógico-matemática – Mais conhecida pela ciência pelos testes de QI, é a inteligência do universo lógico. Pessoas com esse talento possuem facilidade com números e fórmulas.

Espacial – O indivíduo com esse senso mais forte consegue trabalhar com imagens e compreendem construções sem fórmulas, apenas olhando para elas. Pessoas com essa inteligência costumam se desenvolver profissionalmente como pintores e arquitetos.

Corporal-cinestésica – Pessoas que conseguem projetar o próprio corpo para produzir algo ou resolver algum problema. Se você utiliza o corpo para expressar ideias e sentimentos a sua inteligência mais forte é a corporal-cinestésica e pode se desenvolver como atleta ou ator, por exemplo.

Interpessoal – Pessoas que trabalham bem em grupo e possuem habilidade de liderança têm inteligência interpessoal. Exemplos: políticos, professores, vendedores, entre outros.

Intrapessoal – Está ligada a pessoas com inteligência emocional desenvolvida, que têm controle de suas emoções e equilíbrio interior. O indivíduo com esse senso mais forte costuma se desenvolver como psicólogo, sociólogo ou filósofo.

Naturalista – Pessoas com maior sensibilidade de lidar com a natureza e animais, entre eles estão: ecologistas, biólogos, veterinários, índios.

curta! 😉