7 causas que podem tirar a concentração do ser humano

7 causas que podem tirar a concentração do ser humano

Com as facilidades da vida moderna que a tecnologia nos traz, com elas também podem vir períodos de estresse e distração. Consequentemente, a concentração do ser humano é tirada em fração de segundos nos dias atuais.

Hoje, a compulsão por olhar se preocupar com mais com o mundo virtual faz com que deixemos o universo real de lado. Essa escolha pode gerar picos de ansiedade e instabilidade, que podem até ocasionar uma perda de emprego por falta de atenção ao que está fazendo.

Os fatores são diversos, mas abaixo conheceremos 7 causas que podem tirar a concentração do ser humano.

1 – Celular e falta de concentração do ser humano

Esta, talvez, seja uma das principais causas da falta de concentração do ser humano no dia a dia. Uma simples checagem para ver quem curtiu sua última foto no Instagram ou Facebook, ou ainda parar tudo para responder uma mensagem no WhatsApp. Estas pausas podem se tornar minutos ou até mais de uma hora. Com isso, a entrega de um trabalho fica atrasada, por exemplo.

Um modo de eliminar este mau hábito é silenciar as chamadas e notificações, enquanto estiver trabalhando. Em caso de precisar responder algumas mensagens ou e-mails, reserve um horário do dia para fazer tudo isso de uma vez. Com o tempo, a necessidade de olhar o smartphone todo instante será reduzida.  

2 – Concentração do ser humano nas redes sociais

As mídias sociais também é um fator de risco que tira a concentração do ser humano. Assim como o celular, as redes também possuem aplicativos nos smartphones e podem fazer a pessoas passar horas alternando entre várias mídias, como Twitter, Instagram e WhatsApp. Essa dependência gera queda da produtividade no ambiente de trabalho.

Portanto, o ideal é conseguir fugir dessas amarras diárias. Um jeito de conseguir isso é tirar o modo de login automático para acessar tais mídias no computador ou tablet. Já no caso do celular, a pessoa pode silenciar ou desativar as notificações pelo menos durante o horário de trabalho. Em último caso, o usuário pode experimentar trabalhar em um local onde não tenha wi-fi.

3 – Multitarefas

Com a correria do dia a dia no trabalho, as pessoas acabam desempenhando mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Consequentemente, estes fatores geram perda de concentração do ser humano. Não é aconselhável resolver várias pendências ao mesmo tempo.

Uma forma de sanar esta questão é dividir o que é prioridade e dar atenção exclusiva. Geralmente, isso pode ser feito na parte da manhã, quando o cérebro está mais descansado. Já no fim do dia a pessoa pode resolver os assuntos que não eram urgentes.

4 – Estresse

Muito trabalho a desempenhar no escritório, pegar trânsito todos os dias e mais problemas em casa, tudo isso pode gerar uma forte crise de estresse em alguém. Além disso, a concentração do ser humano é perdida e seu rendimento cai. Também tem a questão de saúde, em que dependendo da situação, o indivíduo pode até ter um AVC, depressão ou desenvolver ansiedade. Um estudo recente afirma que o estresse pode afetar a memória e ainda diminuir o tamanho do cérebro.

Para evitar estas consequências, a pessoa pode praticar atividade física, que ajuda liberar hormônios como a adrenalina e o cortisol que geram uma sensação de bem-estar, e com isso diminuindo o estresse. Outra opção para combater este mal é meditar ou atividades que mexam com a respiração, como pilates, yoga e técnicas de mindfulness. Praticar estes exercícios trazem tranquilidade e calma e o retorno da concentração ao ser humano.

5 – Nível de cansaço

Não dormir direito pode gerar cansaço e falta de concentração do ser humano no dia a dia. Portanto, o recomendado pelos médicos é que a pessoa durma e descanse seu corpo oito horas sem interrupção. No entanto, esta quantidade de sono pode variar um pouco para mais ou para menos. Não há uma regra, a pessoa tem que descobrir quantas horas leva para seu corpo e mente estarem realmente descansados. A má alimentação também pode ocasionar perda do sono. Contudo, é importante que a pessoa faça uma refeição leve antes de deitar e não abusar da cafeína.

6 – Alimentação

Outra falta de concentração do ser humano está ligado à fome. Quando a pessoa pula alguma refeição importante, ela está se prejudicando no intuito de deixar de nutrir o próprio cérebro.

Portanto, é importante respeitar o horário certo das refeições e lanches intermediários. Além disso, também é recomendável evitar comida gordurosa e pesada. Fuja dos carboidratos, como massas brancas e doces e dê espaço a pratos coloridos com e ricos em nutrientes.

7 – Depressão gera falta de concentração do ser humano

A depressão pode gerar falta de concentração do ser humano. Quando ele desenvolve este tipo de doença, gera uma ausência de motivação em realizar em atividades do dia a dia. O indivíduo perde o prazer nas simples coisas da vida, como ouvir música, por exemplo.

O aconselhável é procurar um profissional da área de saúde que possa tratar este estado em que a pessoa se encontra, por meio de terapia. Nem todo tratamento visa a ingestão de medicamentos. Em alguns casos, o ser humano só precisa ser ouvido.

Fonte: UOL

*Ilustração: Divulgação

curta! 😉
error

AlterEgo: adesivo é capaz de traduzir pensamentos

adesivo é capaz de traduzir pensamentos

Com a tecnologia passando por dispositivos cada vez menores, a tendência é que daqui um tempo eles sejam capazes de sumir dentro de nossos corpos.

Quem afirma tudo isso é o engenheiro indiano de 24 anos, Arnav Kapur. Estudante do MIT (Massachusetts Institute of Technology), o jovem criou um aparelho de inteligência artificial em forma de adesivo transparente.

O dispositivo é alojado atrás da orelha e é capaz de emitir estímulos passados para um computador que traduz esses sinais. Essa tecnologia, então, transcreve os indícios de uma fala interna da pessoa sem a necessidade de utilizar a voz como instrumento.

Kapur fez uma demonstração mês passado, em Vancouver, no Canadá, durante o TED – evento de design, entretenimento e tecnologia.

“Queria fazer com que computação, inteligência artificial e internet fizessem parte de nós, parte da cognição humana”, afirmou o engenheiro.

AlterEgo

Chamado de ‘AlterEgo’, o aparelho é bastante discreto em relação ao modelo anterior que era colocado no rosto do usuário. Na apresentação do TED, o estudante do Media Lab do MIT, colocou o protótipo no pescoço do assistente de palco.

Kapur deixou claro na demonstração que o dispositivo não lê o pensamento de alguém, e sim que ele interpreta os “sinais neurais” dos músculos da face e das cordas vocais que os seres humanos ativam quando falam sozinhos. Além disso, o engenheiro ressalta que isso é possível mesmo sem o usuário abrir a boca ou mover seu rosto.

Arnav explicou que:

“Os sensores do dispositivo pegam esses sinais internos da cavidade profunda da boca, e o programa de inteligência artificial os traduz e alimenta de volta a resposta via condução óssea para o ouvido do usuário”.

No palco, ele perguntou ao rapaz, que não se movia neste momento, que repetisse a questão internamente. Por meio de um telão era possível ver o aparelho transcrever a pergunta palavra por palavra.

Kapur fez a seguinte pergunta: “Como está o tempo em Vancouver?”. Instantes depois, o assistente respondeu: “Está 15 graus aqui em Vancouver”.

Utilidades do Protótipo

O engenheiro prevê que o AlterEgo possa agregar sua tecnologia ainda mais. Ele citou como exemplos: busca de informações, capacidade de decorar textos, fazer cálculos que só podiam ser feitos pelos computadores, traduções simultâneas, troca de mensagens sem ativar a voz. Além disso, ter a possibilidade de auxiliar pessoas que têm dificuldade no processo da fala.

Reação das pessoas no evento

Ai final do evento, a apresentadora do TED demonstrou preocupação com inúmeras utilidades do aparelho. Segundo ela, a utilização do AlterEgo poderia ser transformado numa espécie de arma ao seres humanos.

Porém, Kapur a tranquilizou e afirmou que:

“Queríamos pensar em design. E mudamos o design. Em vez de ler diretamente do cérebro, o dispositivo lê do sistema neural voluntário, o qual você precisa deliberadamente ativar para se comunicar. Ele não grava ou lê pensamentos”.

Desenvolvido a partir de 2017, o objetivo é que o aparelho possua uma versão menor ainda, finalizou Arnav.

*Foto: Divulgação

curta! 😉
error

Como funciona a biblioterapia?

alexsander-queiroz-silva-biblioterapia

Você já imaginou quantos benefícios aquela história que você tanto gostou de ler trouxe para a sua mente? Essa é a proposta da biblioterapia, ela cria pontes de cura e cicatrização através da leitura de livros orientados, a técnica ajuda a melhorar a vida de pacientes com problemas de saúde mental, amplia o conhecimento, além de ser uma distração curativa.

Se essa é a primeira vez que você ouve falar nesse termo, saiba que os benefícios da biblioterapia já são estudados desde meados do século 20. A ideia é que a  pessoa identifique através da leitura diversos cenários para um mesmo problema, enxergando as suas possibilidades e soluções. Ao projetar essas situações, o paciente pode ser levado a catarse, mudanças de humor, identificação e introspeção.

No Brasil a biblioterapia ainda anda a passos curtos, mas em Portugal já existe uma clínica com profissionais especializados em biblioterapia. As sessões oferecem orientação e a prescrição de livros, o tratamento é indicado através de uma avaliação do quadro clínico do paciente, seu estado físico, hábitos de leitura, autores e obras favoritas.

Tipos de biblioterapia

A biblioterapia é dividida em dois tipos: clínica e desenvolvimento pessoal. O primeiro caso é mais aplicado em ambiente hospitalar nos pacientes que sofrem com transtornos de humor e com transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). Nessa linha, o terapeuta indica livros com um tema específico que ajudam o paciente a criar foco e adequar as situações descritas na história com a sua realidade.

No segundo caso, o terapeuta aplica a técnica focado na evolução pessoal do paciente e a linha não se restringe a hospitais, podendo ser aplicada em grupo ou de forma individual. Esse tipo atua de forma preventiva ou corretiva, desenvolvendo o crescimento pessoal do paciente através de exercícios de aprendizagem, como por exemplo, técnicas de meditação, como falar melhor em público, entre outros.

Benefícios da biblioterapia  

Essa prática terapêutica busca levar ao paciente respostas para os seus problemas internos de uma forma lúdica e enriquecedora. Ao começar uma nova história, a pessoa vai perceber que durante aquele tempo dedicado a leitura, seja ele quanto for, ele estará livre de alguns pensamentos destrutivos e repetitivos. Para entrar na narrativa e se concentrar no livro é preciso criar espaço na mente, sendo assim, aqueles problemas poderão ser afastados por alguns instantes.

Além disso, a biblioterapia ajuda a suavizar questionamentos e orienta na solução de problemas que, muitas vezes, pareciam impossíveis de serem resolvidos. Quem experimenta essa técnica vivência o seu crescimento emocional, momentos de serenidade, amplia a sua capacidade de reflexão e cria impulsos para seguir em frente.

curta! 😉
error

[Infográfico] Saiba como praticar o mindfulness

Há 1 ano uma prática de meditação cruzou o meu caminho, o mindfulness , técnica que ajuda a melhorar a saúde e a concentração na prática de esporte, no ambiente profissional e nos estudos. A ideia é conseguir atenção total no presente, em cada som, sensação, cheiro, pensamentos, ou seja, ter consciência de si mesmo.

A mente de pessoas ansiosas, por exemplo, acabam tomando vida própria e levando a pensamentos fantasiosos do futuro ou vivendo em eventos do passado. Essa prática pode auxiliar nesses quadros, vale lembrar que pessoas com problemas de saúde mental devem usar esse método apenas como complemento, é importante procurar ajuda profissional.

Para começar a praticar esse tipo de meditação, você precisa ter um propósito, pode ser a atenção total em sua respiração, lembrar de algum momento da sua vida ou se concentrar em uma emoção. Pessoas que levam consigo essa prática apreciam o aqui e agora, vivem mais intensamente, reduzem dores crônicas, sentem menos estresse e possuem inteligência emocional mais desenvolvida.

Então, respire fundo e comece a praticar o mindfulness com esse infográfico!

alexsander-queiroz-silva-mindfulness

 

curta! 😉
error

Você sabia que existem 8 tipos de inteligência?

alexsander-queiroz-silva-8-tipos-inteligencia

Podemos dizer  que a inteligência emocional é uma nova etapa nos estudos ligados ao desenvolvimento da mente, uma faculdade tão complexa que não sabemos quando chegaremos ao fim de sua complexidade. Lançada em 1995, a obra Inteligência Emocional de Howard Gardner, psicopedagogo cognitivo educacional, abriu questionamentos importantes sobre a inteligência ser muito mais do que apenas o famoso QI.

Entre as teorias de Gardner destaca-se as Inteligências Múltiplas, onde o psicólogo defende que todos têm tendências individuais, ou seja, algo que gostamos e somos mais competentes e que essas tendências podem ser englobadas em outros tipos de inteligência.

Ao todo existem 8 tipos de inteligência, porém, uma pessoa normalmente costuma desenvolver no máximo duas. Cada indivíduo já nasce com determinado talento, mas ao longo da vida, e por conta das suas experiências, pode contribuir para o desenvolvimento dos demais.

Conheça os 8 tipos de inteligência

alexsander-queiroz-silva-tipos-inteligencia

Linguística – O indivíduo que desenvolve essa inteligência costuma ter talento para leitura, escrita e fala. Se você tem seu ponto forte na inteligência linguística irá se desenvolver como escritor, poeta, jornalista, entre outras carreiras.

Musical – Pessoas com essa inteligência compreendem com facilidade os sons. Músicos e produtores, por exemplo, conseguem transmitir ideias e sentimentos através do som.

Lógico-matemática – Mais conhecida pela ciência pelos testes de QI, é a inteligência do universo lógico. Pessoas com esse talento possuem facilidade com números e fórmulas.

Espacial – O indivíduo com esse senso mais forte consegue trabalhar com imagens e compreendem construções sem fórmulas, apenas olhando para elas. Pessoas com essa inteligência costumam se desenvolver profissionalmente como pintores e arquitetos.

Corporal-cinestésica – Pessoas que conseguem projetar o próprio corpo para produzir algo ou resolver algum problema. Se você utiliza o corpo para expressar ideias e sentimentos a sua inteligência mais forte é a corporal-cinestésica e pode se desenvolver como atleta ou ator, por exemplo.

Interpessoal – Pessoas que trabalham bem em grupo e possuem habilidade de liderança têm inteligência interpessoal. Exemplos: políticos, professores, vendedores, entre outros.

Intrapessoal – Está ligada a pessoas com inteligência emocional desenvolvida, que têm controle de suas emoções e equilíbrio interior. O indivíduo com esse senso mais forte costuma se desenvolver como psicólogo, sociólogo ou filósofo.

Naturalista – Pessoas com maior sensibilidade de lidar com a natureza e animais, entre eles estão: ecologistas, biólogos, veterinários, índios.

curta! 😉
error