Como funciona a biblioterapia?

alexsander-queiroz-silva-biblioterapia

Você já imaginou quantos benefícios aquela história que você tanto gostou de ler trouxe para a sua mente? Essa é a proposta da biblioterapia, ela cria pontes de cura e cicatrização através da leitura de livros orientados, a técnica ajuda a melhorar a vida de pacientes com problemas de saúde mental, amplia o conhecimento, além de ser uma distração curativa.

Se essa é a primeira vez que você ouve falar nesse termo, saiba que os benefícios da biblioterapia já são estudados desde meados do século 20. A ideia é que a  pessoa identifique através da leitura diversos cenários para um mesmo problema, enxergando as suas possibilidades e soluções. Ao projetar essas situações, o paciente pode ser levado a catarse, mudanças de humor, identificação e introspeção.

No Brasil a biblioterapia ainda anda a passos curtos, mas em Portugal já existe uma clínica com profissionais especializados em biblioterapia. As sessões oferecem orientação e a prescrição de livros, o tratamento é indicado através de uma avaliação do quadro clínico do paciente, seu estado físico, hábitos de leitura, autores e obras favoritas.

Tipos de biblioterapia

A biblioterapia é dividida em dois tipos: clínica e desenvolvimento pessoal. O primeiro caso é mais aplicado em ambiente hospitalar nos pacientes que sofrem com transtornos de humor e com transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). Nessa linha, o terapeuta indica livros com um tema específico que ajudam o paciente a criar foco e adequar as situações descritas na história com a sua realidade.

No segundo caso, o terapeuta aplica a técnica focado na evolução pessoal do paciente e a linha não se restringe a hospitais, podendo ser aplicada em grupo ou de forma individual. Esse tipo atua de forma preventiva ou corretiva, desenvolvendo o crescimento pessoal do paciente através de exercícios de aprendizagem, como por exemplo, técnicas de meditação, como falar melhor em público, entre outros.

Benefícios da biblioterapia  

Essa prática terapêutica busca levar ao paciente respostas para os seus problemas internos de uma forma lúdica e enriquecedora. Ao começar uma nova história, a pessoa vai perceber que durante aquele tempo dedicado a leitura, seja ele quanto for, ele estará livre de alguns pensamentos destrutivos e repetitivos. Para entrar na narrativa e se concentrar no livro é preciso criar espaço na mente, sendo assim, aqueles problemas poderão ser afastados por alguns instantes.

Além disso, a biblioterapia ajuda a suavizar questionamentos e orienta na solução de problemas que, muitas vezes, pareciam impossíveis de serem resolvidos. Quem experimenta essa técnica vivência o seu crescimento emocional, momentos de serenidade, amplia a sua capacidade de reflexão e cria impulsos para seguir em frente.

“Acalme-se”: técnica ajuda pessoas com crises de pânico

alexsander-queiroz-acalmese

O coração acelera, a mão começa a formigar, tremer, derrepente você é tomado por uma sensação de falta de ar e quase morte, que muitas vezes não tem origem nem explicação. Esse é o pico de uma crise de ansiedade ou de pânico que se aproxima e, normalmente, o caminho mais fácil ou, na verdade, a única opção que você enxerga no momento é tomar o Frontal ou o tão conhecido Rivotril. Envolto ao sentimento de culpa que não passa, não se sabe o que é pior, a crise ou o efeito “grogue” que o medicamento deixa.

Para te ajudar a fugir um pouco dos psicotrópicos, vou te ensinar uma técnica comportamental conhecida como “Acalme-se”. Ela auxilia no controle das crises, especialmente no início do tratamento quando elas são mais frequentes. Cada letra corresponde a uma ação que você pode ter diante da crise, nesse sentido, começamos pelo “A”, que significa a aceitação do problema, muitas vezes não queremos encará-lo como algo real, e isso faz com que a cura fique cada vez mais longe. Quando todos os sintomas começarem, aceite a chegada deles e entenda que tudo vai passar.

A letra “C” significa contemplar tudo o que está a sua volta, ou seja, na hora da crise você acaba prestando mais atenção na tremedeira ou na respiração mais forte, dando mais valor para os sintomas do que para as situações que estão acontecendo ao seu redor. A dica é deixar acontecer com o seu corpo o que tiver que acontecer, eu sei que é muito difícil, tente não se julgar, você sabe que tem um problema e ele não te representa como indivíduo.

Logo após vem o segundo “A”, que significa agir de acordo com a sua ansiedade, não se deixe paralisar pela crise, ou seja, tente manter a sua rotina apesar dela. Eu sei que muitas vezes os sintomas físicos são intensos, mas dentro dos seus limites, não deixe esse quadro dominar a sua rotina. Vale ressaltar que toda crise de pânico tem uma duração específica para acontecer, ou seja, ela atingi um pico e após um certo tempo vai reduzindo.

Pela ordem, agora nós temos o “L”, que quer dizer liberar o ar de seus pulmões bem devagar. É natural durante uma crise acontecer a hiperventilação, ou seja, a respiração rápida ou muito profunda, o correto nesse momento é inspirar normalmente, soltando o ar bem lentamente até o esvaziamento completo dos pulmões. O “M” da técnica “Acalme-se” significa manter os passos anteriores, ou seja, repita sempre que preciso todas as letras vistas até aqui.

O penúltimo “E” quer dizer examine seus pensamentos, ou seja, verifique se você não está antecipando situações difíceis que, muitas vezes, não tem chances de acontecer. Por exemplo, toda vez que você tem uma crise de pânico você treme e tem medo que as pessoas reparem e fica só pensando nisso, mas muitas vezes isso nem passou pela cabeça de ninguém, na verdade, pode ser que as pessoas nem repararam que você estava em uma crise. Reflita melhor quando esses pensamentos surgirem e tente repetir que é apenas uma crise e que ela vai passar.

A letra “S” quer dizer sorria, você consegue passar por toda a sua rotina com esforço e dedicação, apesar dessa doença, por isso, se permita sorrir mais. E para fechar temos o “E”, que significa esperar o futuro simplesmente como ele tiver que ser, sem medo, a ansiedade infelizmente faz parte da vida, mas você está preparado para ela.

 

 

[Infográfico] Saiba como praticar o mindfulness

Há 1 ano uma prática de meditação cruzou o meu caminho, o mindfulness , técnica que ajuda a melhorar a saúde e a concentração na prática de esporte, no ambiente profissional e nos estudos. A ideia é conseguir atenção total no presente, em cada som, sensação, cheiro, pensamentos, ou seja, ter consciência de si mesmo.

A mente de pessoas ansiosas, por exemplo, acabam tomando vida própria e levando a pensamentos fantasiosos do futuro ou vivendo em eventos do passado. Essa prática pode auxiliar nesses quadros, vale lembrar que pessoas com problemas de saúde mental devem usar esse método apenas como complemento, é importante procurar ajuda profissional.

Para começar a praticar esse tipo de meditação, você precisa ter um propósito, pode ser a atenção total em sua respiração, lembrar de algum momento da sua vida ou se concentrar em uma emoção. Pessoas que levam consigo essa prática apreciam o aqui e agora, vivem mais intensamente, reduzem dores crônicas, sentem menos estresse e possuem inteligência emocional mais desenvolvida.

Então, respire fundo e comece a praticar o mindfulness com esse infográfico!

alexsander-queiroz-silva-mindfulness

 

4 caminhos para ter mais calma e paciência

alexsander-queiroz-silva-meditacao

Já parou para refletir quantas vezes no seu dia você respira profundamente ou sente o aroma das flores nas árvores por onde passa? A correria das cidades e o imediatismo das novas tecnologias tornaram as sociedades cada vez mais estressadas e com problemas de saúde mental como a ansiedade e depressão.

O primeiro caminho para ter mais calma é voltar-se para dentro de si, ou seja, para lidar com o exterior precisamos arrumar o interior. Comece lidando com as emoções e resolvendo problemas internos, que muitas vezes, impactam negativamente em seu dia a dia em forma de estresse, no trânsito ou em uma simples fila de banco. Para você começar a encontrar a sua paz interior eu separei 4 caminhos que podem ajudar.

alexsander-queiroz-silva-calma

Cuide da sua saúde emocional e física

Quando o físico não está equilibrado impacta no emocional, nos deixando estressados e impacientes, da mesma forma que os problemas da mente podem ser refletidos no corpo. O caminho aqui é equilibrar a balança entre os dois, se você perceber que um deles está pesando, procure ajuda profissional e familiar.

Faça exercícios de respiração

Tão natural quanto existir é o ato de respirar, certo? Porém, muitas vezes não prestamos atenção em como o ar entra e sai dos nossos pulmões. Esse exercício é bastante indicado para pessoas com Transtorno de Ansiedade, que vivem no passado ou no futuro, a respiração guiada auxilia o indivíduo a ficar mais consciente do espaço e dos seus sentimentos.

Se coloque no lugar do outro

Sufocados em nossas rotinas imediatas onde tudo se resolve a um clique, esquecemos de ouvir e entender que o outro também importa. Diante de conflitos pratique o exercício da empatia, essa é uma forma muito eficiente de compreender diferentes pontos de vista e encontrar a calma e o equilibrio emocional.

Tente meditar

Pessoas com problemas de saúde mental como ansiedade e depressão podem encontrar equilíbrio nessa prática. O simples fato de aprender a viver no presente auxilia a mente a encontrar calma e paciência. É importante introduzir essa prática aos poucos, que tal começar com cinco minutos de olhos fechados apenas prestando atenção em sua respiração?

Você sabia que existem 8 tipos de inteligência?

alexsander-queiroz-silva-8-tipos-inteligencia

Podemos dizer  que a inteligência emocional é uma nova etapa nos estudos ligados ao desenvolvimento da mente, uma faculdade tão complexa que não sabemos quando chegaremos ao fim de sua complexidade. Lançada em 1995, a obra Inteligência Emocional de Howard Gardner, psicopedagogo cognitivo educacional, abriu questionamentos importantes sobre a inteligência ser muito mais do que apenas o famoso QI.

Entre as teorias de Gardner destaca-se as Inteligências Múltiplas, onde o psicólogo defende que todos têm tendências individuais, ou seja, algo que gostamos e somos mais competentes e que essas tendências podem ser englobadas em outros tipos de inteligência.

Ao todo existem 8 tipos de inteligência, porém, uma pessoa normalmente costuma desenvolver no máximo duas. Cada indivíduo já nasce com determinado talento, mas ao longo da vida, e por conta das suas experiências, pode contribuir para o desenvolvimento dos demais.

Conheça os 8 tipos de inteligência

alexsander-queiroz-silva-tipos-inteligencia

Linguística – O indivíduo que desenvolve essa inteligência costuma ter talento para leitura, escrita e fala. Se você tem seu ponto forte na inteligência linguística irá se desenvolver como escritor, poeta, jornalista, entre outras carreiras.

Musical – Pessoas com essa inteligência compreendem com facilidade os sons. Músicos e produtores, por exemplo, conseguem transmitir ideias e sentimentos através do som.

Lógico-matemática – Mais conhecida pela ciência pelos testes de QI, é a inteligência do universo lógico. Pessoas com esse talento possuem facilidade com números e fórmulas.

Espacial – O indivíduo com esse senso mais forte consegue trabalhar com imagens e compreendem construções sem fórmulas, apenas olhando para elas. Pessoas com essa inteligência costumam se desenvolver profissionalmente como pintores e arquitetos.

Corporal-cinestésica – Pessoas que conseguem projetar o próprio corpo para produzir algo ou resolver algum problema. Se você utiliza o corpo para expressar ideias e sentimentos a sua inteligência mais forte é a corporal-cinestésica e pode se desenvolver como atleta ou ator, por exemplo.

Interpessoal – Pessoas que trabalham bem em grupo e possuem habilidade de liderança têm inteligência interpessoal. Exemplos: políticos, professores, vendedores, entre outros.

Intrapessoal – Está ligada a pessoas com inteligência emocional desenvolvida, que têm controle de suas emoções e equilíbrio interior. O indivíduo com esse senso mais forte costuma se desenvolver como psicólogo, sociólogo ou filósofo.

Naturalista – Pessoas com maior sensibilidade de lidar com a natureza e animais, entre eles estão: ecologistas, biólogos, veterinários, índios.

Sorria você está entrando em 2018

Alexsander Queiroz Silva

Permita-me caro leitor começar esse texto com um pequeno clichê, entra ano e sai ano e sempre sentimos aquela vibração diferente no ar, como se tudo pudesse de alguma forma ser diferente. Para falar a verdade tudo pode ser diferente, depende apenas da forma como encaramos as situações que passamos e o peso que damos para cada situação. Para 2018 ser o ano do otimismo achei que escrever esse post seria mais que apropriado.

Para começar, esteja disponível para a mudança, se você não abraçar a possibilidade da atitude otimista ela vai se distanciar cada vez mais de você. O que eu falo aqui não é sorrir igual um bobo para todos o tempo todo, temos momentos bons e ruins, desafios, trânsito, chefe extressado, a minha dica é a forma como podemos lidar com essas situações por uma ótica positiva, ou seja, não achando que tudo está acabando, mas entendendo que todas as situações possuem um propósito e podemos tirar lições construtivas dos piores momentos.

Não é fácil manter o otimismo, especialmente nos casos de pessoas com problemas de saúde mental, nesses cenários apenas algumas dicas e atitudes não serão suficientes e será necessário procurar ajuda especializada. Em todo caso, algumas atitudes podem te ajudar a manter o otimismo, por isso, eu separei alguns segredos que costumo compartilhar com os meus pacientes.

Alexsander Queiroz Silva Otimismo

Evite criar expectativas

Quando criamos certas expectativas em relação a algo ou alguém, podemos facilmente nos frustrar quando o que queremos não acontece. Por isso, vale tentar viver o momento e deixar que tudo aconteça naturalmente e aceitar as pessoas como elas são.

Resignifique o mundo

Torne a sua vida um lugar legal para se viver, seja colocando um recadinho no wallpaper do seu celular dizendo que você vai conseguir, ou deixando a mesa do seu trabalho mais descontraída, ou seja, deixe o seu mundo um lugar mais bonito para você.

Seja grato

Seja pelas pessoas que fazem parte da sua vida, pelo seu trabalho, sua casa ou pelo carinho do seu animal de estimação. Atitudes simples como essas reduzem os níveis de cortisol, hormônio responsável pelo estresse.

Relembre as suas vitórias

Quando a vida te colocar para baixo uma das formas de se manter positivo é lembrando tudo que você conquistou e superou até então. Relembre a sua força, capacidade de superação e o quanto você ainda pode alcançar.

Cuide da sua saúde

Mente sã corpo são, quando você se sente bem fisicamente e com vontade de sair da cama tudo se torna mais simples. Quando não dormimos bem ou comemos alimentos gordurosos sentimos diretamente em nosso humor, o que fatalmente reflete em uma atitude negativa.

6 comportamentos de quem possui inteligência emocional

Alexsander Queiroz Silva

Quando falamos em inteligência emocional, não é aquela medida por testes de QI, na verdade pesquisas indicam que pessoas que possuem esse tipo de inteligência acabam superando grandes gênios em alguns aspectos. Pessoas com níveis avançados de IE tem uma sensibilidade maior sobre as suas emoções e os sentimentos do outro, além disso, tem grande facilidade de analisar e lidar com essas impressões.

Esse tipo de inteligência afeta a forma com que interagimos em nosso convívio social, o grande regulador aqui é a capacidade do indivíduo de ser impactado pelas diversas situações dos múltiplos cenários que esse convívio oferece como, por exemplo, ambiente familiar, profissional, relações amorosas. Em todas essas relações ele será impactado por uma emoção e quanto mais inteligente emocionalmente essa pessoa for, melhor irá se sair no controle desses sentimentos.

Vale lembrar que a IE não é algo que se coloca em um indivíduo, como se instala um software, pois são sinais comportamentais que vem de dentro para fora, ou seja, não podem ser ensinados, mas podem ser aperfeiçoados. Se tem algo em você que não anda muito bem, é possível, com disposição, aperfeiçoá-las.

Será que você é uma pessoa com altos níveis de inteligência emocional? Para facilitar o caminho, separei alguns comportamentos bem típicos de pessoas com IE.

Exercitam constantemente a empatia

Pessoas com inteligência emocional possuem um alto nível de empatia, quando conhecem, por exemplo, uma pessoa nova se interessam honestamente por ela, querem entender melhor as suas necessidades e antes de julgar se colocam no lugar da outra pessoa. Pessoas com uma curiosidade latente, normalmente gostam de expandir o seu círculo social e de conhecer novos pontos de vista, essa característica traz em si um certo grau de empatia, devido o seu interesse natural pelo próximo.

Saber ler expressões faciais

Digo esse comportamento no sentido literal mesmo, quem tem alto nível de inteligência emocional reconhece com facilidade as expressões faciais de outra pessoa. Consegue a partir dessa leitura identificar facilmente a sua emoção e trabalhar a partir dessa consciência.

É consciente das suas limitações e das suas forças

Fazer uma autoavaliação e aceitar as respostas que chegam a partir desse teste é um importante sinal da IE.  Se é possível identificar os campos de força e de fraqueza, também é possível identificar os caminhos que deve seguir para solucionar um problema, ou até mesmo, gerar autoconfiança. Se você sabe no que realmente é bom, sabe por onde começar, certo?

Capacidade de suportar distrações

Parece besteira, mas aquele bip que te faz voltar correndo para o celular pode ser o que está impedindo a sua IE de funcionar em seu mais alto nível. Ser capaz de driblar distrações aparentemente bobas e focar em suas tarefas até completá-las é um dos grandes segredos para o desenvolvimento da inteligência emocional.

Ter consciência das suas emoções

Saber o que te deixa feliz, triste e o que traz oscilação de humor é um indicativo importante de autoconsciência. Quem não possui níveis elevados de IE costuma jogar certos sentimentos para baixo do tapete ou identificá-los incorretamente, nesses casos é importante contar com a ajuda de um psicólogo para chegar na raiz dessas emoções. O profissional capacitado irá ajudá-lo a ter consciência dos seus sentimentos, a examiná-los de perto e dar o próximo passo.

Saber dizer não

Nem sempre é fácil, especialmente para pessoas próximas e queridas, mas pessoas emocionalmente inteligentes possuem um componente importante, a autorregulação. Quem possui IE é muito disciplinado, tolera bem níveis de estresse e controlam seus impulsos, a ponto de refletir quando alguém lhe pede algo e responder honestamente.